Segunda geração da Web onde o conceito é a Web como plataforma, para uma comunidade e serviços na internet, com realce na colaboração e na partilha de informação. Há mais de 10 anos quando surgiu o e-marketing, os sites eram um género de cartão de visita sofisticado, que algumas empresas “mais na moda”, utilizavam para se apresentar a potenciais clientes na internet. A tecnologia tem permitido a evolução deste conceito até converter os sites iniciais em verdadeiras ferramentas de e-branding: a venda pela internet não é obrigatória; ou até mesmo aconselhável em certas ocasiões, algumas vezes a verdadeira chave para o sucesso é ser capaz de induzir o visitante a comprar através de um diferente canal. Para ajudar a atingir esse objectivo, nada melhor do que, permitir aos utilizadores que conheçam o negócio através de sites interactivos e social media que lhes possibilitem ter um papel activo no desenvolvimento de conteúdos. Existem muitos exemplos, o melhor é olhar para os rankings dos melhores sites do ano por sector para perceber o que melhor se faz nesta área.
Algoritmos de e-marketing que permitem que produtos de serviços com prazos de fecho próximos possam ter preços electronicamente ajustados de modo a assegurar os custos fixos, dependendo da proximidade da data de transacção (preços descem com a proximidade da data de transacção). O exemplo mais típico é um bilhete de avião. De acordo com uma pesquisa da Wharton School, o preço de um bilhete de avião pode variar até 78% dependendo do operador e do momento da venda. Além da utilização nos serviços a temporização de preços também é utilizada intensivamente em bens perecíveis, quer para fins mais domésticos (floristas online) quer empresariais. Nos marketplaces normalmente estes produtos são vendidos com grandes descontos quando se aproxima a data de expiração do bem. Um dos maiores exemplos de temporização de preços é o caso da companhia de aviação low-cost easyJet, criada em 1995. O seu fundador, mais recentemente criou o grupo easyGroup e que alargou o conceito a outros negócios, EasyHotel, EasyCar, EasyPizza…

Alexandro, se você utilizar uma plataforma de ecommerce, a maioria já vem com módulo de afiliados, neste caso é só customizar de acordo com suas necessidades. De fato marketing de afiliados está ganhando mais espaço no mercado, até porque é benéfico para todos envolvidos, desde o cliente que chega por meio de um link de um site ou blog que ele conhece e muitas vezes o responsável pelo conteúdo conhece a loja que se cadastrou no programa de afiliados, como para loja que aumenta a participação na rede. Implementei um programa de afiliados numa loja de produtos eróticos que administro (Sex Nanda) com o sistema PPS (ou CPV) com uma comissão de até 10%. Muito bacana e fácil de usar, isso também é fundamental para os afiliados.
"I was looking over the link reports for (our site) recently. I just wanted to tell you and your team that I was especially impressed with the quality of links acquired over the last few months. I mean, they're completely stellar. So many of them have been older domains receiving plenty of edu and gov backlinks. I am very impressed! Ninjas, indeed! So I wanted to pass that on because I feel everyone deserves to know when they are appreciated. And I totally appreciate you guys. :))) Whenever someone who actually has an internet marketing budget asks me about SEO services, I always rave to them about my experience with the Ninjas (well...as long as they're not in any of the same verticals as I am!) Thanks again for all the time and effort." Dan C.
Marketing de afiliados é uma forma de você gerar rendimento através de um trabalho de partilha, recomendação e promoção de produtos ou serviços de outras pessoas ou empresas. Basicamente, quando você ajuda uma outra empresa a conseguir vender um produto, recebe uma comissão por esse trabalho. Existem várias formas de comissionamento, mas o conceito é semelhante em todas elas, ou seja, você promove algo em troca de uma fatia do valor dessa venda gerada.
×